servicos_essenciais.jpg

A Câmara Municipal de Sines aprovou na sua reunião de 4 de março, por unanimidade, uma tomada de posição em defesa da prioridade da vacinação dos trabalhadores dos serviços essenciais.



Lê-se no texto aprovado que “os trabalhadores das autarquias locais têm estado, desde a primeira hora, na linha da frente de combate à pandemia da Covid-19”, destacando-se os “muitos trabalhadores autárquicos” que pela natureza das suas funções não podem exercer as suas funções em teletrabalho durante o confinamento.


“Os trabalhadores de serviços essenciais, com especial destaque para todo o universo dos serviços urbanos, continuaram a assegurar a prestação normal de funções tão nobres como a recolha do lixo, a limpeza urbana, o abastecimento de água, o saneamento, a manutenção de espaços verdes e vias de comunicação, a execução de empreitadas, os transportes urbanos, os serviços de proteção civil, segurança e saúde, entre outros. São serviços públicos importantes que não podem ser descontinuados nem sofrer nenhuma perturbação no seu normal funcionamento”, refere-se no documento.


Sendo que na fase de desconfinamento estes trabalhadores continuarão, pela natureza destas funções, mais expostos ao risco de contágio, considera a Câmara Municipal de Sines “essencial que os trabalhadores autárquicos possam ser incluídos nos grupos prioritários no âmbito do plano de vacinação contra a Covid-19”.


Reconhecendo que “a disponibilidade de vacinas é limitada e continuará a ser limitada no curto prazo”, a autarquia dirige à Direção-Geral de Saúde “um apelo e um convite para que, em conjunto com esta Câmara Municipal, se possa fazer um mapeamento dos serviços
autárquicos mais relevantes e cujos trabalhadores se encontram mais expostos ao risco, de modo a que possam ser incluídos nos grupos prioritários de cada fase de vacinação do plano nacional”.

Pode ler a versão integral da tomada de posição aqui.